logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Os topônimos indígenas do banco de dados do Projeto Atlas Toponímico do Estado de Mato Grosso do Sul - algumas considerações
Autor(es): Marilze Tavares. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 22/10/2019
Palavra-chave toponmia ,lngua indgena ,ATEMS
Resumo O censo realizado pelo IBGE em 2010 continua apontando Mato Grosso do Sul como o estado com a segunda maior população indígena do Brasil – cerca de 73.295 índios vivem em áreas urbanas e rurais. Oficialmente, existem no estado cinco etnias: Guarani (subgrupos Kaiowá e Ñandeva), Guató, Kadiwéu, Ofayé-xavante e Terena. Considerando a presença desses povos, é possível afirmar que a cultura indígena está fortemente presente no estado e, no que se refere ao processo de nomeação de acidentes geográficos, a herança da cultura indígena é muito significativa. A toponímia é constituída por signos linguísticos altamente motivados e por isso costumam refletir aspectos da cultura, da história, enfim, da realidade dos grupos humanos. Este trabalho discute aspectos da toponímia indígena do estado de Mato Grosso do Sul, e tem como objetivos principais verificar em que medida a cultura indígena interferiu no processo de nomeação de acidentes físicos e humanos; em quais regiões essa interferência é mais evidente e quais dos idiomas ou dialetos indígenas prevalecem na toponímia do Estado. Para isso, os dados utilizados são os que compõem o banco de dados do projeto Atlas Toponímico do Estado de Mato Grosso do Sul. Com esse trabalho, procura-se confirmar as seguintes hipóteses: i) a quantidade de designativos de origem indígenas no estado é bastante significativa em relação ao total coletado; ii) topônimos indígenas são mais recorrentes em algumas regiões do estado, onde a presença indígena foi ou ainda é mais intensa e iii) os estratos da língua Guarani, em especial, sobressaem já que, além da população pertencente a essa etnia ser maior, o estado faz fronteira com o Paraguai, país onde o Guarani é uma das línguas oficiais. Como um dos resultados, registra-se que a análise comparativa entre os dados de todas as regiões do estado mostra que é na região sul que se encontra a maior quantidade de nomes de origem indígena, ou formados por pelo menos um elemento de base indígena.