logo

Programação do 61º seminário do GEL


61º SEMINáRIO DO GEL - 2013
Título: Concordância em construções copulares do português brasileiro
Autor(es): Patrcia de Araujo Rodrigues, MARIA JOS FOLTRAN. In: SEMINÁRIO DO GEL, 61 , 2013, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2013. Acesso em: 14/10/2019
Palavra-chave concordncia,adjetivo predicativo,cpula
Resumo Este trabalho examina nominais nus (NN) em posição de sujeito em construções copulares cujo predicado exibe uma forma não marcada para gênero e número (masculino singular), apesar da forma feminina e/ou plural do NN. (1) a. Crianças é divertido. b. Mulher é complicado. Foltran e Rodrigues (2013) argumentam que esses NN denotam uma situação e só podem ser selecionados por predicados apropriados, como lamentável, chato, inconcebível, intolerável. Dizendo de outro modo, não podem ser combinados com predicados de indivíduos, como se vê em (2). Nesses casos, a concordância do adjetivo é obrigatória, como ilustrado em (3). (2) a. *Crianças é preguiçoso. b. *Mulher é vaidoso. (3) a. Crianças são preguiçosas. b. Mulher é vaidosa. A concordância default do adjetivo já foi explicada de diferentes maneiras: (i) o sujeito seria uma oração infinitiva resumida (cf. Faarlund, 1977, para o norueguês; e Martin, 1975, para o português); (ii) a concordância é semântica e não ocorreria nos casos em que o sujeito ocupa uma posição baixa em uma escala de individuação (cf. Engers, 2004, para as línguas escandinavas); (iii) o NN estaria numa posição A-barra e, por isso, a concordância não seria desencadeada (cf. sugestão de Danon (2012), para o hebraico). Este trabalho tem como objetivo argumentar contra essas análises e investigar outro viés: o NN não conteria traços phi especiais (Index features), valorados externamente ao sintagma (cf. Wechler 2011, Danon 2012, Duek 2012, Foltran e Rodrigues 2013). Para tanto, mostraremos em primeiro lugar, que, por exemplo, (i) os sujeitos das sentenças em (1) não têm a distribuição de uma oração infinitiva (cf. 4-5), o que seria esperado se eles fossem uma infinitiva resumida; (ii) os sujeitos das sentenças em (1) ocupam uma posição alta na escala de individuação proposta por Engers (2004); (iii) a construção com concordância neutra pode ser observada em contextos reconhecidos como small clauses (6), o que, em princípio, eliminaria a possibilidade de propor que seu sujeito ocupa uma posição A-barra. (4) a Cuidar de crianças é divertido. b É divertido cuidar de crianças. (5) *É divertido crianças.

(6) Pedro considera mulher complicado.

Em seguida, com base em estudos sobre NN (Müller, 2004; Pires de Oliveira e Rothstein, 2011; Schmitt e Munn, 2002; Cyrino e Espinal, 2012), argumentaremos que os NN, nesses casos, não apresentariam os traços phi necessários para a concordância externa ao sintagma.